Conheça os principais fetiches e fantasias sexuais dos brasileiros

Fetiche dos brasileiros - reprodução internet


Da redação: DEVITO | devitooficial@yahoo.com - Informações: UOL

Em pesquisa recente o site Vivalocal procurou saber quais os fetiches e fantasias sexuais mais populares e mais buscadas pelos brasileiros. A pesquisa analisou buscas feitas na internet e chegou ao Top Five brasileiro da coisa.


A análise foi feita través de dados coletados do Google, e assim revelando os fetiches sexuais mais buscados no Brasil combinando mais de 763 mil pesquisas mensais. Confira os campeões: 


  • 1- BDSM (bondage, disciplina, dominação, submissão, sadismo e masoquismo): líder absoluto, com 201.000 pesquisas mensais. 
  • 2- Cuckold: com 110.000 pesquisas mensais, a prática é caracterizada pelo homem que sente prazer ao ver sua parceira se relacionando com outras pessoas.
  • 3- Fantasias: esse desejo comum, que envolve o uso de roupas ou acessórios para encarnar um personagem, atingiu o número de 110.000 pesquisas no mês.
  • 4- Swing: pesquisado 90.500 vezes no mês, o swing envolve o relacionamento com outros indivíduos ou com casais, com o consentimento de todos os envolvidos.
  • 5- Latex/couro: Em 2020, foram contabilizadas 51.200 pesquisas mensais sobre esse fetiche, no qual o indivíduo fica excitado com a sensação ou cheiro do material. 

Além dos cinco mais procurados, a pesquisa divulgou ainda os outros tipos de fetiches e fantasias sexuais que também aparecem entre as buscas brasileiros: 

Sexo anal
Cross dressing (usar roupas e acessórios do sexo oposto)
Chuva dourada (urinar ou receber urina durante o sexo)
Spanking (bater ou apanhar na hora do sexo)
Dominatrix (mulher que assume o papel de dominadora)
Ménage à trois (sexo a três)
Dogging (sexo em locais públicos ou dentro do carro)
Voyeurismo (observar corpos nus ou pessoas fazendo sexo)
Engasgo
Sexo ao ar livre
Fetiche por pés
Calcinha usada
Sufocamento 
Edge play (controlar/ interromper a chegada ao orgasmo)

Existem algumas hipóteses sobre a origem do fetiche. Entre elas, o medo da castração e a associação com algum momento do passado são as mais comuns. O fetichismo já foi considerado uma patologia mental, mas hoje a ciência não enxerga mais o comportamento sexual 'diferente' como uma doença. Ele só passa a ser perigoso a partir do momento que coloca em risco a integridade física ou emocional de outra pessoa ou de si mesmo

MAIS ACESSADAS AGORA: