Posicionamento: aprenda detalhes primordiais para garantir um bom treino mantendo a estrutura do corpo intacta


Da redação: Rafael Rios | desportooficial@yahoo.com

A musculação é o levantamento de pesos, seja com halteres ou aparelhos específicos, pode ter como objetivo a hipertrofia dos músculos ou bem-estar para sair da vida de sedentarismo. Mas a carga de treinamento de musculação pode sofrer mudanças quanto a execução dos movimentos, muitas variáveis do treinamento de musculação dependem da boa execução dos mesmos.

Nos movimentos acessórios, os praticantes desatentos costumam mudar de peso sem se preocupar com a maneira como são feitos os exercícios. Uma carga muito alta pode comprometer a execução adequada, pois passa a incluir movimentos acessórios para cumprir o movimento e tarefa no treino. Praticantes experientes utilizam os movimentos acessórios durante a execução de exercícios com altas intensidades, mas com praticantes de musculação menos experientes pode não ser o mais adequado para alcançar o objetivo do treinamento. Um exemplo muito comum que podemos observar de movimentos acessórios no exercício rosca direta com barra, no momento da execução os indivíduos fazem um balanceio do corpo para impulsionar a barra para cima, diminuindo a participação dos músculos flexores do cotovelo na tarefa. Em muitos casos vemos um aumento desproporcional do peso, que influencie o executante fazer os exercícios com amplitudes completas. Nesse caso, o praticante acabara diminuindo essa amplitude, causando a mudança na execução e na carga de treinamento. Por exemplo: quando um atleta de musculação aumenta o peso do exercício supino reto com barra, é comum que não encoste mais a barra no peitoral nem as costas no aparelho.

A prática de exercícios com posicionamento inadequado de todas as partes do corpo também muda a execução do exercício. Exemplificando: no exercício de agachamento da barra guiada posiciona os pés paralelamente, imediatamente abaixo da barra na primeira série, na segunda série, este mesmo atleta posiciona seus pés um pouco mais a frente, cerca de 15 centímetros. Esta pequena variação no posicionamento dos pés abaixo da barra acaba mudando completamente a execução do exercício, influenciando na ativação dos músculos quadríceps, glúteos e paravertebrais.

A mudança da trajetória do movimento de um exercício pode alterar a ativação dos músculos. Nos exercícios de supino fechado é comum que muitos praticantes adotem a posição inicial da barra na altura do processo xifoide, mudar a posição inicial da barra, posicionando-a na altura do manúbrio, influencia na mudança de trajetória da barra e no acionamento dos músculos tríceps e deltoide anterior.

O controle da variável duração da repetição pode sofrer mudanças caso o praticante não execute com rigor o que foi determinado. A mudança na execução altera significativamente a carga de treinamento e muito provavelmente a percepção de esforço do praticante será menor na última série do treino. A execução dos exercícios de musculação deve ser realizada de acordo com o que foi pré-estabelecido pelo profissional de educação física. Por isso, para ter bons resultados, procure treinar com atenção durante as sessões, dando valor a cada repetição de

cada série do seu treino, buscando sempre o posicionamento correto e respeitando a amplitude de movimento de cada articulação, conforme o movimento executado. Garantindo assim um bom resultado nos seus treinos, sem prejudicar a estrutura musculoesquelética.

Os benefícios que um bom posicionamento favorece em diversas práticas esportivas garante um bem-estar e um futuro sem dores e lesões na estrutura fisiológica do corpo.


publicidade

MAIS ACESSADAS AGORA: