Conheça os diferentes tipos de lesões musculares e saiba como tratá-las



Da redação | Rafael Rios

Lesões musculares: suas classificações e quando devemos procurar assistência medica especializada. Não fique só no “achismo”, cuidado com essa grande vilã dos atletas!!!

As lesões musculares podem ser classificadas em traumáticas: estiramento, contusão, laceração ou ruptura (sendo parcial ou total) e atraumáticas: cãibra (contrações involuntárias e dolorosa de caráter transitório gerado por problemas vasculares de esforço excessivo) e a dor muscular tardia.

* Estiramento muscular: lesão muscular indireta, pois a energia do trauma não ocorre diretamente na área muscular que se encontra anatomicamente alterada. Causada por um alongamento das fibras musculares além do seu estado fisiológico.

O grau e a gravidade das lesões são baseados no número e na extensão das fibras lesionadas. Pode-se dividir estas lesões em três estágios:

* Primeiro grau: estiramento de uma pequena quantidade de fibras musculares, gera dor quando contrai o musculo lesionado, dor localizada em um ponto específico, presença de edema que nem sempre é notado no exame físico. Após uma semana o atleta já está de volta a sua atividade física regular.

* Segundo grau: encontra os mesmos achados da lesão de primeiro grau, porem com mais intensidade, acompanhada de dor, moderada hemorragia, processo inflamatório local e diminuição da função, pois o número de fibras lesionadas e a gravidade da lesão são maiores. O atleta pode ficar afastado do esporte de duas a três semanas.

* Terceiro grau: geralmente ocorre desencadeando uma ruptura completa do musculo ou de grande parte dele, resulta em uma grande perda de função, com presença de alteração palpável da estrutura muscular, dor intensa ao contrair passivamente, presença de edema e hemorragia (dependendo do local, podem ser visíveis).

Mais uma lesão muito conhecida é a contusão muscular, que é muito frequente na prática de alguns esportes de contato, como o futebol, basquete, handebol e esportes de luta. Causada por trauma direto na musculatura e acomete os membros inferiores na maioria dos casos, os danos musculares podem ser graves e desencadear extensas áreas de sangramento, tanto dentro quando fora do compartimento muscular.

Alguns casos de lesões merecem atenção e tratamento médico especializado. Existem dois tipos de lesões musculares que podem ser tratados sem a necessidade de atenção médica:

* Contusões de primeiro grau (não e´ recomendado o levantamento de peso)

* Lesões de segundo grau;

Essas lesões podem ser tratadas através do método RICE (Rest, Ice, Compression and Elevaton- Descanso, Gelo, Compressão e Elevação, DGCE em português) com repouso do local lesionado.

Descanso: não é recomendado fazer atividade física até que o músculo esteja mais fortalecido e sem dores.

Gelo: aplique gelo no local, com compressa sobre o músculo de 15 a 20 minutos a cada 2 horas, diminuindo assim o hematoma, o inchaço e a inflamação e desconforto.

Compressão: comprima o musculo com bandagem elástica para comprimir e proteger o local machucado de 48 a 72hs (procure um fisioterapeuta habilitado).

Elevação: o membro afetado deve ser erguido sobre o nível do coração, a circulação sanguínea para a área lesionada diminuirá, reduzindo o inchaço.

Após diagnosticar uma ruptura de terceiro grau procure tratamento médico pois nesses casos alteram a fisiologia e função da musculatura afetada. O procedimento e tempo de recuperação necessários variam de acordo com a gravidade e o local da lesão, então não fique na dúvida, procure um ortopedista ou outro especialista.


publicidade

MAIS ACESSADAS AGORA: