Entrevista Especial com Israel Miranda


O meu entrevistado desta vez é o farmacêutico estético Israel Miranda, 27. O nosso site foi até a cidade de Lauro de Freitas-BA para conhecer a impressionante história de superação deste homem, que conseguiu a grande façanha de emagrecer 60kg em apenas 5 meses com dieta, treino e o principal: determinação. Israel me contou como era sua vida antes e como é hoje. Ele também revelou alguns dos segredos do projeto de emagrecimento que desenvolveu com o acompanhamento do Nutricionista Eduardo Reis e a personal trainer Aline Pereira.
André Zaady - Você sempre foi uma pessoa acima do peso? E como e quando foi diagnosticada a sua obesidade mórbida?
Israel Miranda - Na minha infância eu era uma criança gordinha e, durante o período da adolescência, emagreci um pouco, mas mesmo assim eu sempre tive um sobrepeso. Aos 18 anos fui aprovado num concurso e virei policial militar. Eu não gostava da profissão, pois pensei que era uma coisa, mas vivi uma outra realidade. Daí comecei a fazer faculdade pela manhã e também à noite, vieram as pós-graduações e, com tudo isso, entrei num ritmo de estresse extremamente grande nesse período de 5 anos. Não lembro de fato o momento em que eu já estava com esse peso mas, quando me dei conta, já estava bem pesado, eu tinha então me tornado um obeso mórbido aos 22 anos.
André Zaady - Quais eram os horários de suas refeições naquela época? Como era sua alimentação?
Israel Miranda - Quanto a minha alimentação, André, ela era totalmente desregrada. Eu comia o que dava pra comer, a hora que dava, então não me preocupava muito com a qualidade da alimentação e às vezes comia uma vez no dia porque eu não tinha tempo. Eu saia da faculdade para o trabalho, depois ia pra outra faculdade e muitas das vezes chegava na hora da aula e não tinha muita responsabilidade com alimentação. O mais surpreendente é que eu comia muito menos do que eu como hoje, mas o que como hoje tem um padrão de qualidade extremamente diferente.
André Zaady - No ambiente de estudo, trabalho e fora de sua rotina, você sofria algum tipo de preconceito por ser obeso?
Israel Miranda - Preconceito? Olha, no trabalho existia sim, mas eu sempre mantive uma postura muito séria e por isso as pessoas não tinham uma abertura pra determinados comentários ou comportamentos. Na faculdade, meus amigos sempre me respeitavam mais pela questão de destaque acadêmico. Pode até ter tido algum tipo de comentário ou brincadeira, mas não na minha presença.
André Zaady - Existia ou existem casos de obesidade na sua família? E qual era sua relação antes com esses parentes?
Israel Miranda - Na família não tenho histórico de obesidade. Minha mãe nunca me criticou sobre eu estar engordando dessa forma. Ela em todo momento, claro que preocupada, falava: "Olha, filho, não se abandone. O que você está fazendo com o seu corpo?" Eu fiquei sabendo recentemente que ela já havia desacreditado da possibilidade do meu emagrecimento, que não existia uma outra alternativa senão a cirurgia bariátrica.
André Zaady - No seu dia a dia quais eram as dificuldades por conta da obesidade mórbida? Eu falo principalmente com relação a sua mobilidade.
Israel Miranda - Acho que o principal era a questão de roupa, principalmente calça, que eu vestia. Meu número era o 58, um número muito difícil de se encontrar para roupas sociais, pois os ambientes que eu frequento, Conselho de Farmácia e Conselho Federal de Farmácia, exigem um traje mais formal e era muito complicado a compra dessas roupas. Já com relação à mobilidade, eu sentia falta de ar pra qualquer tipo de esforço excessivo, como subir escadas. À noite eu acordava sufocado e cheguei até ter picos hipertensivos bem severos e perigosos de levarem a minha obesidade a um grau de limite na minha saúde. Uma situação bem engraçada que lembro, é quando eu trabalhava com um banquinho no meu consultório e atendia acuputura em outra clínica. As rodas do banquinho não toleravam o peso e quebravam, tendo que ser trocadas toda vez. Seria cômico se não fosse trágico. (Risos)
André Zaady - Você acabou ficando com alguma sequela, doença por decorrência dessa fase de excesso de peso?
Israel Miranda - Não. Hoje a pressão regularizou, o triglicérides, o TGO e TGP estão normais e todos os padrões bioquímicos regularizaram conforme a redução do peso.
André Zaady - Quais foram os fatores que levaram você a tomar a decisão de mudança de vida?
Israel Miranda - André, na verdade isso foi uma soma de fatores. Emocionalmente falando, houve um desconforto com minha imagem no espelho. Somado a isso, eu me tornei o primeiro especialista na saúde estética aqui na Bahia dentro do Conselho de Farmácia, através de um conselho técnico, e isso era questionável até por parte dos colegas: eu representar a autarquia no tocante à estética e não ter um padrão físico adequado.
André Zaady - Você falou que na opinião de sua mãe não existia uma outra alternativa se não a cirurgia bariátrica e acredito que muitos profissionais também lhe deram essa mesma orientação, pelo grau de obesidade em que você se encontrava. Então por que tomou a decisão de optar por um processo mais lento?
Israel Miranda - Além de acompanhar e já ter visto alguns padrões do pós-bariátrica, eu considero a bariátrica um atalho. Já tenho uma concepção quase formada sobre esse tipo de cirurgia e isso ninguém tira da minha cabeça. A outra questão está relacionada a um desafio: eu, como especialista, preciso ter condição de tratar de mim mesmo. Por isso, montei um projeto pra que eu perdesse 50kg em 1 ano, mas consegui perder 60kg em 5 meses. Foi um projeto muito bem articulado com suplementação, atividade física e mudança da minha rotina de vida.
André Zaady - Mas como isso foi posto em prática?
Israel Miranda - Numa estratégia para melhorar o perfil físico, a questão toda é você se entender. Se você compreende que você necessita mudar, você consegue, pois "a cabeça é que comanda tudo". Eu entendi, André, que eu não era gordo, eu estava gordo, e foi aí que comecei a pensar na possibilidade de mudanças de peso sem atalho.
André Zaady - Qual foi a reação das pessoas depois que te viram já assim, com 60kg a menos?
Israel Miranda - Houveram algumas situações bem engraçadas. Eu passava na rua e falava com alguns colegas, inclusive até colegas de faculdade: "E aí tudo bem "fulano"?" A pessoa parava, olhava pra mim e falava: "Eu conheço sua voz, mas eu não estou lembrado de você." E mesmo eu falando que eu era o Israel eles diziam: "Não, não é você, é parente, mas não é Israel". Aí me perguntavam o que eu tinha feito e a primeira pergunta sempre é: "Fez bariátrica? Fez balão?" E eu respondia que não e eles diziam que eu fiz mágica. (Risos).
André Zaady - Vi na internet que você possui uma legião de seguidores atualmente. O assédio venho junto com essa nova fase?
Israel Miranda - Eu sou comprometido há 10 anos. Antes disso não tinha muita paquera nem assédio, mas hoje tenho que tomar cuidado com o assédio virtual que é enorme. (Risos). Uma foto que eu mesmo postei hoje no Instagram e no Facebook, me rendeu altos likes (Risos). Vou até parar se não vou tomar uma surra daqui a pouco.
André Zaady - Qual o conselho que você dá as essas pessoas que se encontram nesta situação e desacreditadas com relação à obesidade?
Israel Miranda - Acho que a primeira coisa é você se amar. Eu brinco que devemos nos amar ao ponto de causar ciúmes nos outros, mas não um amor egoísta, um amor necessário para a gente mudar. O gordo não está na estrutura física, na gordura em si, está na cabeça. E quando você entende que você não é aquilo que está refletindo no espelho, você começa a buscar alternativas, formas e estratégias de reduzir o peso e de se ver no espelho. Eu estava dentro de mim, escondido, e tudo isso que eu conquistei foi fruto de muito sacrifício, de abdicar de algumas coisas, vencer barreiras, lutar, enfrentar minhas dificuldades físicas e mudar minha alimentação. Hoje eu digo que tudo isso se resume em duas palavras: amor e querer, mas o querer de fato!

Confira abaixo fotos do arquivo pessoal do atleta.

Natural de Salvador-BA

Farmacêutico Especialista em Saúde Estética

1,81 de altura

160kg inicial, 93kg atual
publicidade

MAIS ACESSADAS AGORA: